07/06/2019 às 15:38:00

Wagner Moura dz ter medo de voltar ao Brasil por causa das tensões políticas do país

Wagner Moura consolidou sua carreira como ator interpretando o Cap. Nascimento em Tropa de Elite I e II, fez um bom trabalho em Elysium, sendo elogiado inclusive por Matt Damon, e esbanjando carisma - e um espanhol mambembe - em Narcos. Foi quando decidiu iniciar sua carreira de diretor com o projeto de filma a cinebiografia de Marighella, professor e guerrilheiro que lutou contra a Ditadura Militar brasileira. No momento, Wagner está Festival de Cinema de Sydney, na Austrália, divulgando exatamente seu filme de estréia como diretor

Pôster de 'Marighella' (Foto: Divulgação)

 

Durante o evento, onde ele faz parte do painel de jurados, Wagner comentou sobre sua preocupação em voltar ao Brasil. Diz temer por sua segurança em meio às tensões políticas. Em conversa com o portal The Daily Telegraph (via Daily Mail), o ator de 42 anos disse que "pela primeira vez na vida, senti que poderia estar em perigo".

 

+++ Leia também: VIOLA DAVIS SE ENCONTRA COM TAÍS ARAÚJO

 

"Sempre que vou ao Rio ou a São Paulo, tenho que tomar cuidado. É de partir o coração", contou o ator, segundo relatos do tablóide internacional. Wagner insistiu que não deixará suas preocupações de segurança impedi-lo de voltar, mas disse que isso pode mudar se "as coisas aumentarem ainda mais". No site oficial do Festival de Cinema de Sydney, há a seguinte nota:

 

"Após sua estréia na Berlinale, 'Marighella' foi duramente criticado no Brasil - inclusive pelo presidente Jair Bolsonaro - apesar do filme não ter sido lançado lá. Este emocionante thriller é uma celebração de Carlos Marighella, interpretado brilhantemente pelo músico e ator Jorge (A Vida Marinha com Steve Zissou, Cidade de Deus). No Brasil dos anos 1960, governado por uma violenta ditadura militar, Marighella lidera um pequeno grupo de guerrilheiros em uma luta armada contra o regime. Implacavelmente perseguido como o inimigo número um do governo, Marighella inteligentemente evita a captura, enquanto continua a causar danos e enfurecer ainda mais seus perseguidores. Com seqüências de ação estimulantes, esse empolgante filme histórico tem poderosa ressonância no presente, no Brasil e além".

 

Wagner acrescentou que o filme 'Marighella' é considerado uma "ameaça" para os distribuidores de filmes brasileiros, já que tem uma "conexão clara" com a atual situação política que se desenrola. "Eu estava preparado para o filme polarizar as pessoas e para as críticas, mas não estava preparado para nossos distribuidores não terem coragem de lançar o filme", ​​disse o ator.

 

Wagner Moura e Seu Jorge em Marighella (2019) (Foto: Divulgação)

 

Via: Revista Monet

› Compartilhe este Post
Leia Também

21/10/2019 às 13:45:00 | por Rafael Alves

Conheça o site Filosofia Africana

Conheçam o site Filosofia Africana desenvolvido pelo prof. Wanderson Flor do Nascimento, na Universidade de Brasília e em intera&cc...

CONTINUE LENDO

15/10/2019 às 16:31:00

Queen obriga Trump a tirar música de um vídeo do presidente norte americano.

É aquela história: se ninguém fala nada, passa né?

CONTINUE LENDO

14/10/2019 às 14:23:00

Extrema direita norte americana ataca série de personagem LGBTQ+

Algumas pessoas não entenderam ainda que o mundo anda pra frente.

CONTINUE LENDO

14/10/2019 às 14:13:00

Martin Scorsese: "Filmes da Marvel não são cinema, são parques de diversão"

E ta errado?

CONTINUE LENDO

11/09/2019 às 18:36:00 | por Rafael Alves

Curso gratuito Cinema e Jogos digitais - narrativas na Casa de Cultura Mario Quintana

Sinopse: Audiovisual e jogos digitais constituem duas forças da indústria criativa, movimentando grandes somas globalmente e operan...

CONTINUE LENDO

Receba Novidades


Top