21/08/2019 às 14:44:00 | por Rafael Alves

Arte-terapia: jovem usa a arte para ajudar a curar sua depressão

Que a arte salva já é sabido, afinal sem música a vida seria um erro certo? Ao menos é o que diz Nietzsche. 

 

Saindo da música, mas permanecendo na arte, Christian Hopkins é alguém como tantos outros que enfrenta a depressão, mas com a ajuda da fotografia. Há quatro anos portador da doença, o jovem de vinte anos produz retratros tanto artísticos quanto melancólicos. 

 

No passado ele chegou a pensar em destruir o seu material, mas foi convencido do contrário por um amigo que o postou em um fórum no Reddit e reverberou. Após mudar seus planos, seu ponto de vista sobre o assunto também mudou: "pelo menos, eu espero ter ajudado alguém com as minhas fotografias. Elas são eu próprio. Talvez elas sejam você também. Talvez elas não sejam nenhum dos dois. Ou talvez elas sejam nós”.

 

Abaixo alguma de suas fotografias e para ver mais de seu conteúdo, basta acessar o Flicker de Christian.

 

HopkinsDepression7

 

HopkinsDepression6

 

HopkinsDepression1

 

HopkinsDepression2

 

 

› Compartilhe este Post
Leia Também

06/11/2019 às 20:47:00

‘Tá Rindo de quê?’ – Humor e ditadura - Por Marcelo Castro

Após o golpe de 1964 a área artística do humor foi perseguida e a liberdade de expressão foi reprimida de uma forma muito ...

CONTINUE LENDO

25/10/2019 às 17:05:00

‘Girl’ – Conhece a Ti Mesmo - Por Marcelo Castro

  No francês “Azul é Cor Mais Quente” (2013) testemunhávamos uma jovem enfrentando uma busca pessoal, em tenta...

CONTINUE LENDO

15/10/2019 às 15:58:00

Oito Grandes Professores do Cinema (e duas SUPER menções honrosas...)

Nosso carinho aos mestres!

CONTINUE LENDO

05/09/2019 às 12:40:00

'Era Uma Vez no Oeste' - A desconstrução de um gênero - por Marcelo Castro

 Na cena final do clássico “Rastros do Ódio” (1956) de John Ford, o protagonista (John Wayne) está levando de vo...

CONTINUE LENDO

21/08/2019 às 14:35:00

“As Filhas do Fogo” e a natureza humana - por Marcelo Moraes

Em filmes recentes como, por exemplo “Love” (2015) de Gaspar Noé, o sexo é apresentado de uma forma natural, como se a inten...

CONTINUE LENDO

Receba Novidades


Top